8 Meses de Bragança a Pedalar

Desde marco de 2018 que as IPBikes já circulam pela cidade de Bragança. Alunos e funcionários do Instituto Politécnico de Bragança já optaram por deixar o carro em casa e fazer a viagem ate ao IPB de bicicleta elétrica.
Tatiana Schreiner é investigadora no IPB e foi uma das primeiras a requisitar uma bicicleta elétrica. Utiliza-a principalmente para fazer a viagem casa-IPB-casa, mas também não dispensa este meio de transporte para se deslocar ao supermercado ou ao ginásio: “Hoje temos uma vida tao corrida que a praticidade de chegar aos lugares de forma mais rápida e a principal vantagem, mas a IPBike tem o diferencial dos benefícios de saúde e custo em relação a carros, por exemplo. Na minha opinião e a melhor opção de transporte”. Gil Gonçalves, funcionário do IPB, também enaltece a facilidade e rapidez que a utilização da IPBike lhe trouxe, principalmente ao nível do estacionamento. Habituado às duas rodas, nomeadamente ciclismo de estrada e BTT a nível desportivo, a possibilidade de poder utilizar uma bicicleta elétrica a um preço atrativo permitiu-lhe “praticamente deixar de usar o carro na cidade” e confessa mesmo que até tem a ideia de “futuramente adquirir uma bicicleta elétrica para uso pessoal”.
O IPBike faz parte do programa nacional U-Bike Portugal, coordenado pelo Instituto da
Mobilidade e dos Transporte, com o objetivo de melhorar o ambiente urbano e a qualidade de vida, associada a utilização das bicicletas em substituição de veículos motorizados. São 15 as instituições de ensino superior em Portugal envolvidas e o IPB foi a primeira instituição a lançar o projeto. A ideia e que a comunidade académica troque o automóvel pela IPBike, contribuindo assim para a melhoria da condição física, promoção do bem-estar e da saúde do ambiente.
O Instituto Politécnico de Bragança deu o exemplo, sendo a primeira instituição a arrancar com o projeto. As 100 IPBikes disponibilizadas foram rapidamente requisitadas, de forma repartida entre alunos e funcionários. “É notório que existem mais pessoas, sobretudo alunos internacionais a usar as bicicletas; no entanto existe ainda um percurso longo a correr”, explica Gil Goncalves.
Já Tatiana Schreiner acredita que o projeto trouxe a Bragança ainda mais qualidade de vida, alem da “contribuição ao meio ambiente pela substituição de meios de transporte convencionais por bicicletas. As IPBikes trazem à comunidade uma nova alternativa de transporte amigo do ambiente e pratico, facilitando e agilizando o trajeto que fazemos todos os dias”.
Os 100 utilizadores das IPBikes comprometem-se a fazer, em media, 12,3 Km por dia e o período de aluguer solicitado e de 8 meses. Com vista a boa conservação das IPBikes e garantia de segurança na sua utilização o IPB assegura a contratualização de seguro de responsabilidade civil e prestação dos serviços de manutenção para todas as bicicletas. As 100 bicicletas elétricas disponibilizadas pelo IPB já foram requisitadas, mas alunos, funcionários e investigadores podem fazer a candidatura através do endereço www.ipbike.ipb.pt. E alias neste endereço que se podem consultar todas as informações relativas ao projeto, incluindo os dados estatísticos relativos a utilização das bicicletas. Nem Gil Goncalves nem Tatiana Schreiner pretendem deixar de utilizar as bicicletas elétricas tao cedo. A introdução deste meio de transporte nas suas vidas trouxe tantas vantagens e mais-valias que a opção só podia mesmo ser continuar a circular por Bragança em duas rodas.

Publicado por: “Mensageiro de Bragança”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

two × three =