Dia Aberto ao Conhecimento divulga valências da indústria 4.0

Utilidade do Centro de Investigação em Digitalização e Robótica Inteligente do IPB foi mostrada aos empresários.
Abrangendo produtos, sistemas logísticos e redes, a Indústria 4.0 é a inovação nos smart system (soluções inteligentes para melhorar rotinas e criar maior eficiência e productividade nas empresas). Nesta perspectiva, sabe como é que se trata o grande volume de informação associado às tecnologias 4.0? Foi esta uma das principais
inovações na área da automação, controlo e tecnologia da informação, que foi dada a conhecer no Dia Aberto ao Conhecimento, em Bragança.
“Temos um ‘know how’ suficiente” para ajudar os empresários “a desenvolver estas tecnologias nas suas empresas”, afirmou o presidente eleito do IPB, Orlando Rodrigues. Foi a apresentação de valências que impulsionou esta mostra. As cinco bancadas tecnológicas instaladas no Brigantia Ecopark no âmbito da iniciativa promovida pelo politécnico
da cidade e pelo Instituto de Apoio às Pequenas e Médias Empresas e à Inovação, tiveram como objectivo dar a conhecer às empresas as potencialidades e oportunidades inerentes ao recém-criado Centro de Investigação em Digitalização e Robótica Inteligente do Instituto Politécnico de Bragança. “As tecnologias 4.0 têm um elevado potencial de melhorar a
competitividade das empresas. Queremos mostrar aos empresários que estas tecnologias existem”, explicou Orlando Rodrigues. O Dia Aberto ao Conhecimento contou com a presença da secretária de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino
Superior. Maria Fernanda Rollo visitou o Fab Lab do politécnico e, impressionada com o que viu, afirmou que
a instituição “tem uma relação muito pioneira e dinâmica no desenvolvimento de muitas áreas” e que “tem uma formação muito competitiva num relacionamento “extremamente rico” que “mantém com o impulso na área da investigação e do desenvolvimento”. Lamentando a baixa transição de alunos do profissional para o superior, Maria Fernanda Rollo avançou ainda como meta que, pelo menos, 40% dos alunos das escolas profissionais de vem ingressar no ensino superior. A secretária de Estado afirmou que há uma necessidade de sensibilizar os jovens para a “necessidade
da formação e para a aquisição de competências para o mundo do trabalho”, sendo que, nos próximos anos, 60% dos jovens portugueses deveriam frequentar as universidades e politécnicos, pois somente “um em cada três jovens, na casa dos 20 anos, estão a fazer formação superior”. Apresentada por Maria Fernanda Rollo, a iniciativa encerrou com a apresentação da campanha “Não Desistas de Ti”, inserida no programa “Estudar mais é preciso” do Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Publicado por: “Jornal Nordeste”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

8 − five =