Alunos do primeiro ciclo vão ter aulas de mandarim em Bragança

O presidente do Instituto Politécnico de Bragança (IPB), João Sobrinho Teixeira, disse hoje em Macau que os alunos do primeiro ciclo do ensino básico desta cidade vão ter aulas de mandarim a partir do ano letivo de 2013/2014.
“Temos um projeto emblemático para iniciar o mandarim logo na primeira classe, no primeiro ano do ensino básico, para os alunos com seis anos”, disse João Sobrinho Teixeira, à margem de um fórum em Macau.
O projeto de ensino da língua chinesa, segundo João Sobrinho Teixeira, vai resultar de uma parceria que envolve o Politécnico, a Câmara Municipal de Bragança, e a Universidade de Pequim em Zhuhai (Beijing Normal University at Zhuhai- BNUZ).
Depois de um período experimental de um mês e meio, a partir de junho, as aulas de mandarim iniciar-se-ão efetivamente em setembro, com um professor que será destacado por aquela universidade chinesa para Bragança.
“Esperamos que, com este embrião, Bragança se comece a afirmar como núcleo da cultura chinesa e da língua chinesa, na região do interior de Portugal e na região vizinha com Espanha”, sublinhou, ao referir que estão a ser ultimados os detalhes com os parceiros em Zhuhai, região adjacente a Macau.
Antes da deslocação a Macau, João Sobrinho Teixeira esteve na semana passada em Pequim para a celebração de um acordo com a Universidade de Estudos Estrangeiros de Pequim (Beiwai) – a primeira universidade chinesa a abrir uma licenciatura de português em 1961 – com vista ao intercâmbio e aperfeiçoamento da língua portuguesa dos alunos chineses.
O novo acordo com Bewai deverá elevar o número de universitários chineses em Bragança, atualmente estimados em quase meia centena proveniente das universidades chinesas de Guangdong e de Nanjing, sobretudo dos cursos de português e jornalismo.
“Penso que começa a haver aqui uma cada vez maior consolidação entre Portugal e a China. Os politécnicos de Portugal pretendem ser um elo de ligação entre os países europeus e sobretudo os países de expressão portuguesa, e o Instituto Politécnico de Macau tem sido uma instituição charneira” nesse processo, disse.
Numa cidade “com cerca de 25 mil habitantes, o Instituto Politécnico de Bragança tem 7,5 mil alunos, dos quais cerca de mil são internacionais”, sublinhou.
O responsável explicou também que foi estabelecida uma parceria com a autarquia, que incluiu a candidatura a fundos europeus para a recuperação de casas do centro histórico destinadas ao alojamento de alunos estrangeiros.
“Há ali uma pequena cidade cosmopolita, que permite aos alunos chineses, o contacto não só com os alunos portugueses, mas com alunos dos países de expressão portuguesa e alunos europeus”, afirmou.
O IPB inaugurou a 15 de outubro o Centro de Língua e Cultura Chinesas, um projeto que Sobrinho Teixeira descreveu como “pioneiro”.
“É um espaço próprio da Universidade de Pequim em Zhuhai aberto para o politécnico e para a região, e que irá fazer traduções e divulgar a cultura chinesa não só em Bragança, mas em todos os municípios da região”, afirmou.
O centro deverá também ajudar “na facilitação de negócios entre os empresários de ambas as regiões”, concluiu.

Publicado em ‘i‘.

Um comentário em “Alunos do primeiro ciclo vão ter aulas de mandarim em Bragança”

  1. Bragança: crianças vão aprender mandarim na escola
    Projeto resulta na parceria entre o Instituto Politécnico de Bragança, a Câmara Municipal e a Universidade de Pequim em Zhuhai, na China

    Os alunos do primeiro ciclo do ensino básico de Bragança vão ter aulas de mandarim a partir do próximo ano letivo, avançou esta terça-feira, em Macau, o presidente do Instituto Politécnico de Bragança (IPB).

    De acordo com a agência Lusa, o projeto de ensino da língua chinesa vai resultar de uma parceria entre o Politécnico, a Câmara Municipal de Bragança e a Universidade de Pequim em Zhuhai, China.

    O presidente do Politécnico, João Sobrinho Teixeira, em citação da agência Lusa, espera que desta forma a cidade de Bragança comece a se afirmar como núcleo da cultura e língua chinesa, na região do interior de Portugal e na região vizinha com Espanha.

    As aulas de mandarim iniciam-se em setembro de 2013, depois de um período experimental de mês e meio, que inicia em junho.

    em TVI24

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

four × 3 =