Comitiva portuguesa visita UTFPR para fortalecer parceria entre instituições

Entre quarta e sexta-feira, Miguel José Rodrigues Vilas Boas, diretor da Escola de Agricultura Superior do Instituto Politécnico de Bragança (IPB), de Portugal, e Antônio Castro Ribeiro, subdiretor da instituição portuguesa, estiveram em Dois Vizinhos para conhecer o campus da UTFPR e discutir a ampliação dos projetos de dupla diplomação dos cursos de Agronomia, Engenharia Florestal e Zootecnia. Os diretores também conversaram sobre uma possível cooperação nos programas de pós-graduação entre as instituições e iniciar um estudo para a dupla diplomação nos cursos de Ciências Biológicas e Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia.
Miguel José Rodrigues Vilasboas, diretor do IBP, em entrevista ao Programa Sete e Meia, destacou a importância da visita e os interesses comuns das duas instituições de ensino. “Nós, em Portugal, procuramos promover um conhecimento de qualidade, baseado em ciência, em capacidade de inovar e encontramos também em Dois Vizinhos, como em outros campus da UTFPR, mas particularmente em Dois Vizinhos, o interesse comum em evoluir, quer por parte dos alunos, quer por parte das instituições que, com certeza, juntas conseguem fazer um caminho melhor e mais rápido”, resumiu.
Ele destaca o processo de dupla diplomação, onde cinco alunos duovizinhenses estão na instituição portuguesa. “Primeiro, é benéfico para os alunos, que conseguem através desta mobilidade, que normalmente corresponde a um ano da formação, conhecer diferentes formas de atuar, de interagir com conhecimento e experiência. São pessoas distintas, com exigências diferentes e isso faz crescer, individualmente, como pessoas e, ao mesmo tempo, também abre horizontes para um mundo cada vez mais global. Os nossos acordos estão baseados em uma reciprocidade entre as instituições. Dessa forma que queremos atuar e ultrapassar algumas barreiras”, relata.
Ele ainda elogiou a estrutura da UTFPR de Dois Vizinhos. “Tivemos o prazer de visitar o campus fisicamente, as diferentes áreas de pesquisas disponibilizadas num campus com uma dimensão e particularidades muito próprias, até comparando com outros campus da UTFPR. Verificarmos, in loco, as particularidades da pesquisa e extensão. Tivemos em Dois Vizinhos, em novembro do ano passado, colegas do instituto a fazer exatamente essa mesma aproximação entre colegas que fazem os mesmos trabalhos e é dessa forma que conseguimos desenvolver trabalhos conjuntos mesmo sabendo que existem diferenças concretas entre as duas realidades nos dois países, mas conseguimos desenvolver projetos conjuntos, seguindo metodologias conjuntas que vão encontrar resultados que possam ser aproveitados por agricultores daqui e de lá, desenvolvendo o mundo, em particular a atividade rural”, acrescenta.
O diretor da UTFPR, Everton Lozano, comemorou a visita. “Para nós é muito importante. Eu sempre digo que tivemos algumas fases na UTFPR. Uma delas foi a expansão, onde tivemos grandes investimentos em infraestrutura e agora estamos na consolidação e isso também passa pelo processo de internacionalização, numa bandeira que é defendida na reitoria e, obviamente, se expande para nós. Temos alguns programas, como a mobilidade estudantil, que o aluno pode permanecer um tempo numa universidade no exterior e concluir na UTFPR como também a dupla diplomação, onde ele recebe o diploma na UTFPR e no Instituto Politécnico. Esses são dois exemplos. Isso é extremamente importante até pela formação cultural dos alunos. Hoje, temos cinco alunos em Bragança, três da zootecnia e dois da agronomia”, comemora.
Dos 28 mil habitantes de Bragança, 7,5 mil são universitários
JdeB – Antônio Castro Ribeiro, subdiretor o IPB, falou sobre a instituição portuguesa e as características da cidade de Bragança. “O IPB é uma instituição de ensino superior público. Temos 35 anos e atuamos em diversas áreas. Somos constituídos por cinco escolas, sendo que uma delas é a Agrária, a qual pertencemos. Atuamos no domínio das ciências agrárias, em particular da agronomia, da ciência florestal, engenharia zootécnica, também na área de biologia e biotecnologia e engenharia alimentar. Tanto que, no âmbito dessas formações, estabelecemos, com a UTFPR, esses programas de dupla diplomação, que tem sido uma experiência fantástica. O IPB apostou, há alguns anos, na sua internacionalização. Neste momento temos 25% da comunidade estudantil composta por alunos internacionais, oriundos de 70 países”, relata.
São apenas 28 mil habitantes, sendo que 7,5 mil universitários. “Esses números são importantes para a cidade em termos numéricos e porque traz um movimento, numa cidade bastante acadêmica, por onde quer que vamos, encontramos os alunos e eles encontram seus colegas, por isso, não é fácil esconder-se dentro de Bragança, porque em qualquer esquina está um colega de curso diferente, de uma escola, numa convivência frequente. É uma cidade pequena, de fato muito segura, onde todos convivem em espaços muito próprios e é nessa ligação entre culturas que achamos que podemos contribuir com a sociedade e na quebra de barreiras”, completa.
Visão do Brasil
Antônio destaca que os europeus veem o Brasil com bons olhos, principalmente na questão da agricultura. “O Brasil é um continente. Temos aqui no Sul uma agricultura própria, avançada em termos de tecnologia, estamos surpreendidos com a dinâmica e o imputo tecnológico que a agricultura já tem. Notamos uma preocupação e um interesse em diversificar as culturas e vimos algumas linhas de pesquisa na UTFPR se prendem com o estudo de adaptação, quer de culturas de clima temperado, em particular as fruteiras. Vimos o interesse pela cultura da oliveira e os estudos que estão sendo levados a cabo para avaliar quais as melhores variedades que se adaptam melhor as condições do clima local, aos solos e, nessa perspectiva, podemos, ajudar muito, uma vez que temos bastante experiência com essas culturas de clima temperado. Fazemos já pesquisa há vários anos na oliveira, na vinha e essa parceria tem permitido também essa troca de informação, conhecimento e creio que tem sido importante, quer para nós, que permite constatar que aqui os problemas são específicos, próprios dessa região, desse clima e nos permite transmitir conhecimento que fomos acumulando nas pesquisas dessa área. Temos preocupação muito grande no imputo tecnológico na produção, com objetivo de melhorar a eficiência do uso de recursos, como água, preservação do ambiente e sustentabilidade da produção. Isso são preocupações comuns aos dois países e é nessa similitude de preocupações e de interesses de pesquisa que vai permitir essa força e o intercâmbio futuramente”, relata o professor.
Mercado de trabalho
Por não ter muitos jovens buscando formação superior na área, o mercado de trabalho consegue absorver os alunos formados no instituto.

“A área da agricultura, infelizmente, em Portugal e na Europa não é vista como uma grande oportunidade entre os alunos. Há outras áreas que, após o ensino médio, os alunos tem mais tendência a procurar e, fruto disso mesmo, faz com que o número de alunos formados sejam facilmente absorvidos pela demanda do mercado. A agricultura, quer queiramos quer não, estará sempre presente nas nossas vidas como fonte de alimento, gestão de espaço e por isso nossos estudantes com facilidade tem o ingresso no trabalho. Até, como curiosidade, um dos alunos da UTFPR que atualmente está em Bragança, pela necessidade das empresas na procura de profissionais, chegou recentemente no seu programa de dupla diplomação e foi contratado mesmo sem ter terminado sua formação e aproveitou para ingressar na empresa, num estágio remunerado”, conclui Miguel.

Publicado por: “Jornal de Beltrão”

UTFPR de Dois Vizinhos recebe visitantes de Portugal

Entre os dias 6 e 8 de junho, a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) – Campus Dois Vizinhos recebe a delegação do Instituto Politécnico de Bragança (IPB), de Portugal, com o objetivo de promover a melhoria dos projetos de dupla diplomação de cursos de graduação (Agronomia, Engenharia Florestal e Zootecnia), promover a cooperação em pesquisa com os programas de Pós- Graduação do campus, bem como estudo de outras graduações possíveis para dupla diplomação (Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia e Ciências Biológicas). No dia 6, a direção-geral e diretorias de área fizeram uma apresentação do cenário da internacionalização da UTFPR. No dia 7 ocorre uma reunião com a Diretoria de Pesquisa e Pós-Graduação (DIRPPG) e coordenadores dos programas de pós-graduação em Zootecnia, Agroecossistemas e Biotecnologia para apresentação dos programas e possíveis cooperações em pesquisa, seguida de visita guiada aos laboratórios do campus. À tarde está prevista uma reunião com Diretoria de Relações Empresariais e Comunitárias (DIREC) para apresentação dos números de projetos de extensão e áreas dos programas de extensão, seguida de visita guiada à Estação Experimental do Campus. Na manhã de sexta-feira (8), a delegação do IPB se reunirá com a Diretoria de Graduação e Educação Profissional (DIRGRAD) e coordenações de cursos que já possuem dupla diplomação (Agronomia, Zootecnia e Engenharia Florestal), para avaliação dos programas com dupla diplomação em curso e à tarde ocorrerá reunião com as coordenações de cursos que não possuem dupla diplomação (Ciências Biológicas e Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia). Ainda no dia 8, às 13h30, no auditório do campus, ocorrerá o Seminário de Apresentação do IPB sobre os cursos, dupla diplomação e programas de pós-graduação para todos os docentes interessados.

Publicado por: “Diário do Sudoeste”